top of page
  • Foto do escritorFábio Rabello

A importância das Conexões, o poder da Emoção.

É certo que promover conexões com os consumidores sempre foi uma das principais preocupações do varejo, afinal esse é um fator chave de sucesso para esse tipo de negócio. Porém cada vez mais vemos empresas de diferentes áreas de atuação colocando as conexões como objetivos prioritários em seus planejamentos estratégicos.

O termo CONEXÃO ganhou ainda mais visibilidade e se popularizou com o advento digital e as possibilidades entre as diversas ferramentas que essa nova realidade tecnológica trouxe foram ampliadas, muito.


Mas como as conexões acontecem?


Sem EMOÇÃO, não há CONEXÃO. É preciso estimular a produção de dopamina, popularmente conhecido por hormônio da felicidade, por meio de experiências, sejam elas reais ou virtuais. Ao passar por momentos especiais, o corpo libera esse neurotransmissor que provoca a sensação de bem-estar e, quando a nossa marca está presente no momento onde a magia da felicidade acontece, a conexão é infalível.


Para promover emoções de forma consciente é fundamental entender o comportamento dos consumidores e hoje temos soluções que facilitam esse processo. O BIG DATA, a Inteligência Artificial, as Mídias Sociais, aquele CPF que dá descontos em mercados e farmácias, o rastreador do Google presente nos celulares... todas incríveis fontes de dados, informações, que devem ser interpretadas e transformada em conhecimento.


Por outro lado, surge um grande desafio - a VELOCIDADE! A tecnologia também é responsável pela aceleração das mudanças. A cultura evolui muito rápido, informações chegam por todos os lados, novos comportamentos surgem a cada momento e “manter-se atualizado” exige muita energia, investimento e dedicação dos gestores.


E, para completar a complexidade, os consumidores agrupam-se cada vez mais em NICHOS específicos, exigindo comunicação, produtos e serviços dedicados. Falar com a grande massa é coisa do passado, não gera emoção, conexão. É preciso estudar os comportamentos de cada grupo de clientes e desenvolver soluções específicas, se queremos nos conectar de fato a eles. Muitos foram os casos de empresas que se aproximaram a determinadas comunidades e acabaram interpretadas como oportunistas, ou seja, pela visão de seus membros elas estavam lá para aproveitar oportunidades mercadológicas e não efetivamente se envolver nas causas importantes para eles. O resultado foi totalmente inverso ao esperado.


A publicidade tradicional, que teve seu auge nas décadas de 80, 90 e 00, sempre levou emoção para a grande mídia por meio de campanhas memoráveis, é só procurar por elas no Youtube que facilmente aparecerão filmes fantásticos que trouxeram aumento no faturamento e reconhecimento de marcas para diversas empresas. Na época, os investimentos eram milionários e restritos aos poucos anunciantes que podiam pagar.


Hoje os desafios são outros, a oportunidade de comunicação se ampliou e praticamente todas as empresas, das minúsculas às multinacionais, conseguem se comunicar por meio das mídias sociais, por exemplo, a partir de investimentos realmente muito baixos. Mas o que vemos, na maioria dos casos, são conteúdos sem emoção, afinal, muitas priorizam volume em detrimento à qualidade. Peças são produzidas sem conhecimento técnico, sem estratégia mercadológica. As conexões não acontecem.


É preciso planejar, estudar, desenvolver ações assertivas, levar a linguagem e o conteúdo que seu mercado quer. Os profissionais de marketing e publicidade são especialistas que podem ajudar em todo processo, desde o entendimento do mercado, hábitos e desejos de consumidores, até o desenvolvimento de ações pertinentes para cada nicho que os negócios pretendem atingir.


E aí, partiu provocar emoções para gerar conexão?


Estudar mercados, entender desejos, necessidades, comportamentos, é o que gostamos de fazer.

Se quiser ajuda nesse sentido, conte com a gente!

Mande uma mensagem em nosso whatsapp, 18 9 9777-1888, ou se preferir clique AQUI!



13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Âncora 2
bottom of page